segunda-feira, 23 de junho de 2008

EQUAÇÕES MATEMÁTICAS DA VIDA


Diariamente resolvemos problemas aritméticos, muitas vezes eles passam despercebidos e não nos damos conta de sua importância. É claro que não estou tratando daqueles cálculos comuns na padaria, no supermecado, nas feiras livres ou no barzinho da esquina. Minha pretenção é mais profunda, pois estou pensando na aritmética dos sentimentos, boas regras de convivência e a busca da tão sonhada felicidade.
Acredito ser um desafio enorme para sequenciar ou no mínimo equilibrar, equacionando as incógnitas e variáveis de nosso dia-a-dia. Sei que é chato para quem não gosta da matemática, pensar nas possibilidades racionais e irracionais de nossos sentimentos. Portanto mais complexo ainda é imaginar as linhas retas, curvas, superfícies planas, côncovas, convexas, arestas, vértices, etc da geometria vivida e fazer a convergência, propondo a equivalência fracionária tranqüila e equilibrada de nossas equações solucionáveis.
Posso até de certo modo ter confundido seu imaginário, mas tenho convicção, perseverança e seriedade quando comparo nossa busca contínua por bem-estar e a felicidade duradoura que nunca chega. Por mais que equacionemos, descobrimos as soluções destes ou daqueles problemas, aparece outros para que não paremos ou possamos nos acomodar e ir de encontro a outras incógnitas e variáveis, aparentemente insolucionáveis. Porém o esforço, a persistência e a vitalidade humilde vence e garante a solução de mais um conjunto de equações matemáticas da vida.
Ser fraco, inseguro ou ter medo, não é um problema sério. Problema sério é desistir antes de começar a luta e não procurar meios para ultrapassar as barreiras inconvinientes que nos aborrecem perante nossos duradouros desafios. pode ser difícil, impossível jamais e se a solidão não resolve, então é só ir em busca de uma companhia segura para que sirva de base calculável dos nossos prazeres e conquistas viáveis.
Equacionar os problemas da vida será uma busca interminável de cada ser humano. Não importa se ele é oriental, ocidental, polar do norte ou do sul. A vida sempre mostrará um ou vários desafios para testar a capacidade de fortaleza que cada indivíduo tem diante das dificuldades. Saudações humanistas do compaheiro ( jorge dos Santos) !!!

Um comentário:

triplicando_Emerson disse...

grande jorge... o matemático da Alma. grande texto!