segunda-feira, 21 de julho de 2008

Justiça pra quem?



Mais uma vez a “justiça” brasileira nos deixa em dúvida sobre a sua imparcialidade, o motivo agora, é o tratamento dado por ela aos acusados da Operação Satiagrarra, da Polícia Federal. Por que uma pessoa rica, mesmo que haja evidências claras que ela cometeu um crime consegue sair tão rápido da cadeia, enquanto um pobre que rouba uma manteiga (não estou defendendo o roubo) passa anos atrás das grades? A justiça é mais fácil para quem tem dinheiro?


A constituição federal diz o seguinte: “somos todos iguais perante as leis e a justiça”, pena que isso não funcione na prática. Na prática, o pobre é preso com algemas, mesmo sem oferecer resistência. Já o “ilustre” banqueiro Daniel Dantas e seus “colegas”, foram motivos de discussão em Brasília, só porque foram algemados. Porque nenhum senador ou deputado se manifesta quando um João Ninguém é violentado pela polícia? Somos tratados de maneiras diferentes, não existe igualdade, pelo menos perante a lei e a justiça.


O coronel responsável pela tropa que invadiu a já extinta Casa de Detenção do Carandiru, em São Paulo, no ano 1992, onde 111 presos, todos na sua maioria negros e pobres, foram brutalmente assassinado não foi preso, ele virou deputado. Já os delegados da PF que fizeram um excelente trabalho na operação Satiagrarra, foram removidos de suas funções; parece que incomodaram alguém.


O brasileiro tem que reagir, não podemos nos intimidar com essa vergonha que é a nossa justiça, ela não deveria nem levar este nome. A justiça no Brasil não é cega, ela só enxerga o lado que quer.

2 comentários:

Triplicando_Alinne disse...

só não podemos perder a esperança disso tudo melhorar, porque se não onde chegaremos? ao Caos?

bronsom disse...

ótima matéria!!!
finalizou com personalidade. sendo tipicamente dum modo brasileiro.
Nota 10!
Parabéns